30 de dez de 2010

stay young and invincible

nós sabemos quem nós somos.

24 de out de 2010

o amor não existe.

só a vontade é real.
o que a gente quer mesmo é ser enganado.

26 de ago de 2010

marianna (III)

dói né? eu avisei.
repito pra mim, todas as manhãs: sorria e acene, sorria e acene, sorria e acene...
e eu sorrio e aceno.  

(no meu pensamento eu corro e te abraço.)

20 de jul de 2010

back to black - amy winehouse

nós dissemos adeus só com palavras, eu morri uma centena de vezes. 
você volta para ela e eu volto para nós.

23 de jun de 2010

if i feel - the beatles

se eu me apaixonar por você, você prometeria ser verdadeira e me ajudar a entender? porque eu já me apaixonei antes e eu descobri que o amor era mais que só mãos dadas...

quanto à razão.

vai e volta, depende da nossa proximidade.

duendes no jardim

um, dois, cinco, sete doentes no meu jardim.

4 de abr de 2010

marianna (II)

fuja menina, por favor. você não entende o quanto te querem? e o quanto esse teu desespero por querê-los pode te matar? não faça isso comigo, conosco.
mas mesmo assim, vá. será melhor você saber do que estou falando: assim talvez encontres alguém em quem confiar.
esperar é como subir uma escada que nunca termina, assistindo ao desfile de tudo o que se sente.
ei você: (se puder me ouvir)
os anos ainda não te apagaram em mim.
me deixa ir, sem pedir o porquê: é mais fácil eu me despedir agora do que nós dois chorarmos mais tarde.

28 de fev de 2010

isis - bob dylan

-aonde você esteve?
-nenhum lugar especial.
-você parece diferente.
-não exatamente...
-você foi embora.
-isso é natural.
será que é o cheiro de cigarro que afasta as borboletas do meu jardim?

22 de fev de 2010

eu queria me desculpar pelo que eu sentia. e se isso é engraçado para você, eu só posso rir de mim mesma. mas eu já desisti de tudo isso, se lembra? e fui eu que quis ir embora. portanto, pegue de uma vez as suas coisas e paremos de vez com essa palhaçada toda.
eu fugi. e eu estive fugindo por muito tempo: eu só queria ver até onde você me seguiria, mas acho que sequer notou que eu não estava mais aqui. desculpe-me pelos incômodos, não voltarei mais.

11 de fev de 2010

é fácil fingir que não houve nada. (as paredes não nos entregariam.)

querer demais.

eu quis tudo para mim, eu queria mais, sempre! e acabei sem nada. mas, sinceramente, que graça teria parar enquanto se está no topo? eu perderia toda a emoção de subir, alcançar tudo e cair. cair para recomeçar. pobres daqueles que nunca cairão: é assim que se aprende, e eu tenho uma sede de saber voraz.