4 de abr de 2010

marianna (II)

fuja menina, por favor. você não entende o quanto te querem? e o quanto esse teu desespero por querê-los pode te matar? não faça isso comigo, conosco.
mas mesmo assim, vá. será melhor você saber do que estou falando: assim talvez encontres alguém em quem confiar.
esperar é como subir uma escada que nunca termina, assistindo ao desfile de tudo o que se sente.
ei você: (se puder me ouvir)
os anos ainda não te apagaram em mim.
me deixa ir, sem pedir o porquê: é mais fácil eu me despedir agora do que nós dois chorarmos mais tarde.